Como o UI Design impacta a experiência do usuário?

Como o UI Design impacta a experiência do usuário?

Considerando que o UI Design é tudo com que o usuário vê e tem contato durante a interação com o produto, tem-se dimensão de sua importância.

Afinal, é o design de interface que exercerá influência sobre o cliente, fazendo-o continuar ou desistir de utilizar a solução.

E, por isso, a área tem uma série de referências que funcionam como premissas, norteando o trabalho de designers por todo o mundo.

Assim, no post de hoje mostramos mais detalhes sobre o UI, mostrando o impacto dele na experiência do usuário.

Números não mentem

Estatísticas são ferramentas de gestão indispensáveis a qualquer decisão estratégica.

E como UI demanda investimento, vale a pena ver alguns indicadores a seu respeito até para provar o quão válido é.

Conforme compilação da Impact (com dados de empresas como Google, Adobe e Quick Sproud), sites que não se adaptam a diferentes telas ocasionam irritação e frustração a 48% dos usuários.

Não é bem esse o sentimento ou memória marcante que se deseja ter com os seus clientes, não é mesmo?

E mais da metade dos clientes (52%), ficam menos inclinados a engajarem-se com as marcas após experiências mobile ruins. Além de 79% (!) das pessoas que entram num site e não gosta do que veem, saem da página e buscam outra opção.

Outros 12,94% dos visitantes deixaram de confiar em sites com design ruim, de acordo com a MyTechnology.

Demonstrada a importância e impacto do UI Design, vamos às suas premissas e como elas afetam a experiência do usuário.

Otimização da interface

Existem algumas diretrizes que auxiliam a criar boas interfaces. Elas surgiram pela percepção de diferentes profissionais.

Com elas, é possível entender a percepção e raciocínio dos usuários para planejar  páginas e elementos melhores.

1. Doherty Threshold

As respostas entre a ação e a interface deve se realizar em menos de 400 ms ( milissegundos ), a fim de reter a atenção do usuário.

2. Lei de Fitts

Elementos selecionáveis (botões) devem ser destacados para serem percebidos e bem posicionados para serem acionados.

A atividade-chave de um produto digital deve ser encontrada sem empecilhos, o que também faz necessário estar em todas as páginas.

O menu das diferentes seções de produtos de um e-commerce, por exemplo, acompanha o usuário por toda a ação.

3. Lei de Jacob

Ao trabalhar a familiaridade entre as diferentes páginas, se otimiza a curva de aprendizagem do usuário.

Ou seja, a partir do reconhecimento, o UI Design consegue aprimorar a utilização em tempo e experiência.

Este item se associa a elementos já consolidados, como lupa para busca, vermelho para exclusão e verde para aceite.

Também remete às ferramentas como o guia de estilo (para empresas pequenas) e o design system (especificações mais detalhadas que são compartilhadas entre designers e programadores), em que as diretrizes da identidade visual estão descritas.

Com isso se consegue padronizar e, também, agilizar os processos de criação, uma vez que partem de referências já pré-estabelecidas.

4. Lei da região comum

Recursos como linhas, cores e bordas auxiliam a criar separação entre partes da interface, facilitando a assimilação do conteúdo.

5. Lei da preservação

A simplicidade e a organização auxiliam a interpretação dos elementos por parte do usuário, tornando a interface mais amigável a ele.

6. Lei da proximidade

Itens que estejam próximos tendem a ser interpretados como grupos. Por isso, não vale a pena arriscar confundir a cabeça do usuário.

Ou seja, deixe próximo o que é realmente da mesma categoria de informação ou diretamente associada a ela.

7. Lei de Miller

O excesso não agrada o visual, assim como não é assimilado pela memória. No geral as pessoas mantêm de cinco a nove itens.

Por isso, a interface deve ser organizada levando esses números em consideração para que o usuário seja atraído pela informação.

8. Navalha de Occam

Cumprir o objetivo principal com a maior simplicidade possível. Assim, o que não for essencial não deve permanecer.

9. Lei de Postel

Fornecer feedback ao usuário em todo o UI Design e dar possibilidades de ação para ele conforme suas expectativas.

Entender todas as possibilidades desejadas pelo usuário e a interpretação dele sobre a página (validação) para fornecer boa experiência.

10. Efeito de posição serial

Existe uma maior propensão dos usuários para lembrar de itens que estão nas pontas, ou seja, no início e no fim das interfaces.

Por isso, informações e funções-chave como menus são, comumente, fixados nestes espaços.

Vantagens do UI

Tais diretrizes são úteis a todo o desenvolvimento de interface, pois, favorece uma experiência positiva ao usuário.

Afinal, mais de 40% dos pesquisados apontam a qualidade do design como muito importante para os negócios, conforme Startups his is how design works.

O percentual reafirma o design como um dos pilares para as empresas, uma vez que impacta todo o ciclo de vida do produto junto.

Assim, nos mais diferentes estágios, ali está o design para dar suporte ao cliente, a fim de atender a todas as expectativas do público. E como chegou até aqui, não deixe de ler nosso post sobre UI Design e entenda ainda mais sobre os benefícios dessa área.

Tags: , , ,
 

Deixe seu comentário

Atenção: Os comentários abaixo são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e não representam, necessariamente, a opinião da Edesign Digital.